segunda-feira, 12 de abril de 2010

Sobre Moda e Arte com Catarina Gushiken

No último sábado eu fui cobrir o Pixel Show pro Caderno 2, programa produzido por alguns alunos da UFRGS pra UNITV (canal 15 da NET). Pois bem, a Catarina Gushiken, que foi durante 8 anos estilista da Cavalera e é ilustradora e designer, estava lá, e eu aproveitei pra conversar um pouquinho com ela.

imagem: site da Catarina Gushiken

Quando você decidiu ser designer? Por que escolheu essa carreira?
Catarina: Eu sempre gostei de ilustração. Eu sempre quis trabalhar com arte, desenho, mas no começo trabalhei como estilista. Por 8 anos trabalhei na Cavalera, coordenando a equipe de estilo e resolvi mudar, porque sempre gostei de arte. Acabei saindo da área de estilo e indo trabalhar como ilustradora, mas meus trabalhos sempre misturam ilustração e moda.

Que importância tem o Pixel Show para o design brasileiro? É a primeira vez que você participa do evento?
Catarina: Eu acho que uma importância muito grande, principalmente nesse momento em que o Brasil está sendo muito visto. Não é a primeira vez que eu venho no evento, já fiz uma outra participação, sou amiga dos meninos da Zupi (organização do evento). A gente faz vários projetos. Inclusive, tenho uma marca, e eles fazem a curadoria dos ilustradores que estampam a minha marca.

Quais são as suas inspirações e o que você quer passar com o seu trabalho?
Catarina: Eu sou neta de japoneses, então eu tenho uma forte influência oriental, mas também sempre gostei muito de anatomia. Então as minhas referências vem muito do universo do orgânico, da fluidez, do ritmo e do movimento. Desse momento de inspiração em coisas de anatomia, que vem essa coisa mais visceral, mais forte. Mas ao mesmo tempo a delicadeza, a suavidade das referências orientais. É uma mistura disso.

Você trabalhou durante anos como estilista. Você acha que a moda pode ser considerada uma forma de arte?
Catarina: Eu acho que todo tipo de expressão artística verdadeira, com estilo, com propriedade pode ser considerada uma expressão artística. Mas em todas as áreas, mesmo na parte de artes pláticas, você tem um momento que é comercial. Então existe o momento de criação, mais conceitual, que é onde você acaba criando uma identidade e existe o momento comercial. A moda permeia por esses dois lados. Existe o momento que é artístico, que é o da concepção, mas a moda também é mercado, venda. E nesse momento já não é mais arte, aí é business. Mas acredito que isso existe em diversas áreas, não só na moda.

A moda te influencia no seu trabalho como ilustradora?
Catarina: Eu acho que esses oito anos que eu trabalhei na Cavalera não tem como não influenciar. Talvez na questão do desenho das roupas, das personagens. Todas as minhas ilustrações acabam tendo um figurino. De uma certa forma acho que essa foi a referência que a moda me trouxe.


Super amei a visão dela sobre essa relação entre arte e moda. E acho que é por aí mesmo, né? Quando a moda envolve criações (não necessariamente de estilistas, pode ser qualquer um de nós) autênticas, que queiram expressar algo de forma mais subjetiva, ela pode sim ser considerada arte. Venho pensando há alguns dias no conceito de arte, mesmo sem realmente ter estudado isso a fundo. Se permitem utilizar o meu senso comum, acho que esse conceito está um pouco confuso hoje em dia. Uma das causas disso, pra mim, é justamente o limite entre o conceitual e o comercial. Embora a gente geralente consiga separar os 2 tipos de expressões, nem sempre isso é possível. Mas, como cada pessoa interpreta a arte como quiser, posso concluir que a arte está nos olhos de quem vê. O que vocês acham?

*Além de sábia e talentosa, Catarina (super íntima hahaha) é muito fofa! E vocês podem conferir a matéria sobre o Pixel Show na quarta-feira (às 14:30, 19:30 e 21:30) na UNITV. Ou a partir de quinta-feira neste canal do Youtube. Também vou postar o link direto no meu twitter quando estiver disponível.

8 comentários:

  1. Não conhecia ela,adorei a entrevista.Moda é arte?
    É a pergunta que não cala,hein.Quer saber?Pouco importância tem se é arte ou não...Mesmo por que,acredito que tem muitos por aí que tem lá algumas obras de artes e a unica coisa realmente que compreende sobre ela é o seu valor financeiro!Tô pagaaaanooo!

    bjs,Thaís!

    ResponderExcluir
  2. Moda e arte sempre caminharam juntas, muita coisa na moda é baseada e até muitas vezes copiada da arte. Seria moda uma arte vendavel? Podemos dizer que sim. Adorei a entrevista Thaís, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. ih, nem vou entrar nessa discussão...mas adorei a entrevista com a Catarina, parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia a Catarina.
    Adorei a entrevista!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nossa, amei a definição dela e a visão de coleção-arte-marketing-consumo. Não tinha visto por esse ângulo.

    Parabéns pela entrevista, não conhecia muito da Catarina e achei ela bem pé no chão e com uma visão ótima da moda.

    ResponderExcluir